Como ensinei minha filha de seis anos a ser apaixonada por viajar


 João Pessoa, Praia de Jurerê (Florianópolis), Rio de Janeiro, Gramado  

Sou uma mãe um pouco atípica, porque tive filhos em diferentes fases da vida. Com 19 tive meu mais velho, o Paulo Victor. Aos 24, foi a vez do Gabriel. E a Carina, com 37. Ela, agora, tem 6; e eu, 43.

O Paulo Victor sofreu um pouco. Por ser o primeiro, e eu ainda jovem, não tinha muita grana. Íamos para Santos. Quando muito, Ubatuba. E já preparava o kit farofa: protetor, água, lanche. Porque na praia só tem comida tranqueira.

A primeira viagem da Carina foi para Florianópolis, quando ela tinha 11 meses. Logo de avião. Teve uma enorme turbulência, ela estava varada de cocô, tive que trocar a fralda com o avião balançando muito. Foi difícil. Ela chorou o trajeto inteiro.

Eu queria muito que ela conhecesse o mar. O primeiro contato com o mar foi em Jurerê Internacional. Chique né? Em Floripa eu tive que fazer passeios para 3 faixas etárias. O Paulo Victor, 18, adolescente, o Gabriel, 13, e ela, 11 meses. Mas deu certo.

O problema que teve uma super virose na cidade e ela não passou bem dois dias. O atendimento hospitalar não era muito bom. Tem que ficar esperto. Água é o perigo de toda viagem. Depois fomos para o Nordeste, Goiás, Rio de Janeiro.Sandra Lopes adicionou foto de João Pessoa,Praia de Jurerê (Florianópolis),Rio de Janeiro,Gramado Foto 1

Ver o seu filho descobrir outros lugares, outras maneiras de viver, outros sotaques, e entender que tudo isso é o Brasil, um só lugar, e é tudo seu, é muito legal. Eu adoro viajar em família.

Com criança você tem que ter preocupação com conforto, acesso, senão ela estressa fácil e fica chata. Tem que respeitar o limite de sono, de fome. Tem que conhecer seu filho. A minha gosta de ficar na praia até tarde, dançar, dormir tarde, adora reunião de amigos, então eu posso fazer isso tranquilamente.

Mas ela odeia andar. Quando preciso fazer um passeio que ande, ela reclama, dá trabalho. Por isso não invento coisas que precisam caminhar muito com ela. Ela é preguiçosa. Eu até faço chantagem: que se ela continuar preguiçosa assim, não poderá ir à Disney, porque lá anda muito. Aliás, meu plano era levar ela em breve, mas, com o dólar nas alturas, adiei.

Uma vez em João Pessoa viajei com um casal de amigos, que tem uma filha da idade dela, e elas deram um pouco de trabalho. Acredito que foi a convivência por dias seguidos.

Recentemente fomos para o Rio e foi mega bacana. Ela curtiu loucamente a noite na Lapa, dançou muito em um barzinho. Ela sempre pede para voltar nele. Eu vou continuar viajando com ela, quero que ela tenha esse hábito sempre.

Sandra Lopes adicionou foto de João Pessoa,Praia de Jurerê (Florianópolis),Rio de Janeiro,Gramado Foto 2

A Carina comenta as comidas, os sotaques, as gírias. Quando fica mais de dois dias em um lugar, já começa a imitar os hábitos locais. Esses dias ela me pediu para viajar de navio. Diz que viu na TV e deve ser muito legal.

A viagem para Gramado é a preferida da minha filha. Lá ela e os irmãos brincaram de neve, parecia que tinham todos a mesma idade, mesmo a neve sendo falsa. Ela amou o Natal-Luz da cidade. Mas a coisa mais legal foi ver a Carina dando a mão para a vó dela, que nunca tinha andado de avião. Já é uma veterana.

E, no que depender de mim e do pai dela, ela ainda vai andar muito mais de avião.

Acompanhe minhas histórias no meu diário!

- - - -

Se você curtiu esse texto, ficaria extremamente feliz se pudesse dar um nele aí embaixo ou compartilhar com seus amigos!

COMENTÁRIOS:

Roberta Borges

Roberta Borges comentou 6 meses atrás

Adorei seu texto! Muito legal a sua filha aprender com você uma das melhores coisas da vida, que é viajar! :)


Fique por dentro das novidades e melhores dicas:




Instagram


Viajantes também leram:

SUA VIAGEM COMEÇA AQUI

Dubbi é um novo espaço para pessoas incríveis que amam viajar possam interagir, se ajudar e compartilhar suas histórias e dicas de viagem.

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.