A pergunta que não quer calar: o que fazer em Koh Phi Phi, Tailândia, sem a Maya Bay?


  Ko Phi Phi Don  2678 visualizações

 Sawasdee Don Chao,


Por conta do meu doutorado em antropologia pela Universidade de Lisboa, temporariamente aposentei minha querida mochila. Claro, jamais pararia de viajar completamente e portanto postulei: se preciso abdicar do nomadismo, que seja com estilo e escolhi a universidade na Europa com um objeto de estudo na Ásia. Portanto, já faz algum tempo que revezo entre Lisboa e a ilha onde jaz a praia mais famosa da Tailândia, Ao Maya. Sim, vivo e faço minhas pesquisas em Koh Phi Phi!

Eduardo Cidade adicionou foto de Ko Phi Phi Don Foto 1

Tonsai Village - Koh Phi Phi Don


Estou bem atento que muitos viajantes se preocupam sobre valer vir aqui desde que Maya Bay foi encerrada. Deveras, tratava-se de uma emergência. Durante muito tempo as autoridades tailandesas hesitaram em fechar a ilha durante a baixa temporada (maio - setembro) por conta da quantidade de dinheiro gerada pela taxa de entrada ao parque nacional. Na realidade, existem duas ilhas, Koh Phi Phi Don (a grande Phi Phi) e Koh Phi Phi Leh (a pequena Phi Phi) e a segunda configura um parque nacional - sendo necessário desembolsar 400 baht para usufruir do glorioso momento e pisar na lendária Ao Maya e imitar o Leonardo DiCaprio no seu filme A Praia. Não obstante, os corais ao redor da praia degradavam-se pelo excessivo turismo em massa (ligeiro pleonasmo para ressaltar o quanto aquele local vive lotado) e a praia foi fechada na esperança da vida marítima reflorescer. Ou seja, aos que planejam baladar por Koh Phi Phi até outubro, não será possível adentrar uma das praias mais famosas mundialmente... não obstante, ainda existe a possibilidade passar na frente dela e ter o privilégio de vê-la sobre um ângulo outrora impossível - vazia!

Eduardo Cidade adicionou foto de Ko Phi Phi Don Foto 2

 Sonho de consumo da maioria dos viajantes - a pitoresca Ao Maya vazia!


Justamente, de modo algum isto que dizer que não vale a pena vir a Koh Phi Phi na baixa temporada! Além dos preços mais em conta, há muito mais que a Ilha dos Espíritos pode oferecer! Originalmente habitada por piratas e ciganos marítimos (Chao Ley - o povo do mar), a ilha era considerada um totem para as religiões animistas. Simultaneamente, enquanto embarcações de mercadorias transitavam pelo pequeno arquipélago Phi Phi, os piratas e os ciganos do mar atacavam e muitos pensavam que a ilha era mal-assombrada. Hoje, a celebridade de Koh Phi Phi jaz tanto por sua beleza quanto por suas festas! Isso mesmo, as festas são praticamente não apenas todas as noites, mas o dia inteiro! Boat Party, Pool Party, Beach Party - em outras palavras - ’party’ sem nunca acabar e o lugar propício para recolher o souvenir mais icônico da Tailândia - os baldinhos! Entretanto, falarei das festas e dos restaurantes em outro artigo. Neste, quero concentrar-me na aventura. Sobretudo, aventura sem a Maya Bay!


Há diversos passeios de barco pela ilha. Desde os regados a bebida como o Booze Cruise, o Black Sail  ou o Pirate Boat aos mais calminhos, com uma atmosfera mais zen, nos barcos de madeira denominados longtails. Aos brasileiros a dica fica em contatar a mineira Isa, organizadora de passeios de lancha para compatriotas e os hermanos latino-americanos. Muitos chegam em Koh Phi Phi acreditando que a Maya Bay concentra a apoteose da beleza quando na verdade se surpreendem com a Pileh Lagoon e a Bamboo Island. A dizer, existem seis ilhas no complexo Phi Phi (uma fechada e duas acessíveis somente para quem fizer mergulho). A propria ilha Phi Phi Leh (ou Phi Phi Ley, a escrita oscila constantemente) contém três baías.  Além da Ao Maya, existem Loh Sama e a Pileh Lagoon. Essa segunda significa ’o Mar Fechado’ pois na decorrência da maré baixa pode-se averiguar uma pequena - e linda - piscina natural entre as colinas, porém bloqueada pela barreira de corais e os barcos não podem acessar. Concomitantemente, se há a Isa para os brasileiros, o francês MJ faz um passeio semelhante aos seus amigos da francofonia. Fica outra dica! 

Eduardo Cidade adicionou foto de Ko Phi Phi Don Foto 3

Tour realizado para os colegas da francofonia - Les Gallois á Phi Phi. Aos brasileiros, busquem a mineira Isa. 

Um erro muito recorrente entre os turistas que só passam três dias em Koh Phi Phi jaz em, precisamente, ignorar a beleza natural da própria Phi Phi Don (onde, necessariamente, você vai se alojar. Com quase certeza na Tonsai Village). Para explorar essa ilha, a melhor recomendação fica por conta do tour Antrek. Há guias de diversas nacionalidades e todos eles são bilíngües. Então, é legal saber que além de inglês e francês, alguns também falam português. Normalmente a jornada começa pelas duas da tarde - portanto pode-se desfrutar da noitada sem se preocupar. Depois de esperar a comida ficar pronta, segue-se para os quatro mirantes mais famosos da ilha. Nos dois primeiros consegue-se realmente ver o formato de borboleta feito pelas baías Tonsai e Loh Dalum. Espetacular! Se palavras não convencem, deixo aqui a foto. 

Eduardo Cidade adicionou foto de Ko Phi Phi Don Foto 4

O formato de borboleta no Viewpoint 2.

Depois das fotos, surge o contato inicial com a floresta! Não é precisamente a Amazônia, mas segue impressionante aprender como uma ilha tão pequena também tem seus segredos se selva. No terceiro mirante existe a possibilidade de avistar a Ilha dos Mosquitos (duas decepções - o acesso desta ilha é vedado desde alguns anos aos turistas e não há mosquitos na Ilha dos Mosquitos. O nome advém de um inseto autóctone da ilha) e a Ilha dos Bambus (Bamboo Island - esta, ao menos, tem uns três bambus aleatórios). Então começa a aventura de se jogar na floresta. O total do passeio cobre um pouco mais de doze quilômetros - claro, com diversas pausas - e uma parte significativa situa-se realmente dentro da floresta. Uma floresta primária, daquelas feitas pela Natureza e não pelo Homem. Claro, há escorpiões e cobras, então nunca se sabe realmente se o acaso de encontrar um desses animais pendula para o lado da sorte ou do azar.... 

Depois de uma boa caminhada na floresta, chega-se na Phi Phi Village. Existem dois vilarejos em Phi Phi Don - Tonsai Village e, precisamente, Phi Phi Village. Se você faz parte da tribo  dos mochileiros, certamente seu orçamento te obrigará a se hospedar na Tonsai Village, onde estão os albergues e as festas. A Phi Phi Village é bem mais serena, remota e designada mais aos casais em lua-de-mel com resorts bem carinhos. Evidentemente, nunca dormi lá! Entretanto é bastante legal a conhecer porque ela possui um ambiente mais rustico, mais ’tailandês’ (com as criancinhas vestidas de Capitão América a brincar pelas ruelas) do que a Tonsai e seus ’banana pancakes breakfasts’. Um pouco o estimado e procurado off the beaten track da cultura mochileira. Normalmente, o Antrek faz uma pequena pausa para comprar as benditas e merecedoras cervejas! Porque a aventura começa agora!

Eduardo Cidade adicionou foto de Ko Phi Phi Don Foto 5

Vagando pela selva de Koh Phi Phi - o caminho entre a Tonsai Village e a Phi Phi Village. 


Chega-se a baía de Loh Lana e de lá pode-se averiguar umas pequenas cabanas bem ao fundo aos ares de rusticidade. São as residências dos descendentes dos ciganos marítimos; hoje, pescadores! Eles ainda não possuem eletricidade, mas existe um painel solar compartilhado para carregar iPhones, iPads etc. Ou seja, não possuem eletricidade, mas possuem Netflix! Paradoxos da modernidade...


Após caminhar sobre umas rochas malucas e subir algumas cordas doidas no meio do mato, chega-se na Nui Bay, a ’praia secreta’, a fim de desfrutar o crepúsculo. O legal  é que pouquíssimas pessoas sabem sobre essa praia e ainda se pode assistir o pôr do sol dentro de uma caverna marítima (vale lembrar que  é relativamente difícil chegar na caverna com a cerveja comprada na Phi Phi Village). Depois do anoitecer, prossegue com o passeio noturno na floresta selvagem! Lembro do comentário de uma canadense que fez o passeio comigo - ela sentiu medo demais para sequer pensar em s sentir cansada. Soube de um guia meio Indiana Jones que precisou matar serpentes em três ocasiões! Finalmente, o tour termina com um cocktail e jantar! A sede do Antrek fica no bar Lighthouse. Aos interessados, mais informações em www.antrekphiphi.com. Finalizando, é realmente muito legal e da para gastar bem as calorias dos padthais e das Changs (a cerveja local. E, aos curiosos, a palavra chang significa elefante, o animal nacional)! Falando nisso, como não quero me estender muito neste posto, no próximo falarei dos bares e dos restaurantes de Koh Phi Phi.

Eduardo Cidade adicionou foto de Ko Phi Phi Don Foto 6

A caverna no meio do mar! 

Pronto! Existe muita variedade em Koh Phi Phi Don! A ilha oferece muito mais do que a requisitada Maya Bay durante o dia e festas na praia pela noite. Qualquer perguntas, basta escrever e responderei. Em breve escreverei mais sobre essa pequena ilha linda e maluca perdida no Mar de Andaman! 

- - - -

Se você curtiu esse texto, ficaria extremamente feliz se pudesse dar um nele aí embaixo ou compartilhar com seus amigos!

COMENTÁRIOS:

Sua viagem tão sonhada planejada por um Expert de viagem

O Instaviagem.com é uma agência online especializada em planejar roteiros 100% personalizados e feitos sob medida para cada viajante. Você preenche um questionário informando todas as suas preferências e orçamento e recebe uma consultoria de um verdadeiro viajante profissional!

Veja opções de roteiros personalizados para Ko Phi Phi Don,

PLANEJAR MINHA VIAGEM

Recomendamos para você:

Viajantes também leram:

SUA VIAGEM COMEÇA AQUI

Dubbi é um novo espaço para que pessoas incríveis que amam viajar possam interagir, se ajudar e compartilhar suas histórias e dicas de viagem.

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.