Como definir o roteiro em uma viagem de volta ao mundo


 América  

Uma das partes mais legais - e também que dá mais trabalho - na hora de planejar uma viagem de volta ao mundo é a definição do roteiro. Afinal, sua vida naquele período de tempo será determinada pelo que estiver definido no mapa. Os perrengues, as histórias, as aventuras, os perigos, enfim, tudo estará nas mãos do roteiro traçado.

E foi isso que eu e o Cabeça, meu irmão, fizemos com muita paciência e conversa, pois o “Me Leva Junto” terá duração de três anos - por mais aventureiros que um viajante seja, não dá para passar os próximos três anos de sua vida sem um plano minimamente estabelecido. Por quais países passar? Quanto tempo ficar em cada lugar? São dúvidas que rondam a cabeça o tempo todo.

A ideia inicial seria sair de São Paulo e se encaminhar direto para Argentina, para já começar a subir os países da América Latina. Mas então a precaução falou mais alto: é preciso testar o carro antes. Por mais cuidado que se tenha tido com o “Carona”, adaptar um veículo é sempre uma incógnita e só na prática é possível saber se está funcionando.

Nós achamos melhor, portanto, fazer uma volta pelo Brasil antes de começar, de fato, a viagem de volta ao mundo. Serão três meses para testar o carro se tiver algum problema, acertar o que tiver que acertar, e, aí sim, sair pelo mundão.

Fred Mesquita adicionou foto de América Foto 1

Nessa “pré-etapa” nós vamos para o Paraná, depois Paraguai, e, de volta para o Brasil, passaremos por Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia, de onde desceremos pela costa até São Paulo. Na capital paulista, fazemos uma última revisão no carro, vemos o que deu certo e o que não deu (já teremos rodados 9 mil km) e partimos novamente.

Em direção ao sul, só que dessa vez para o Rio Grande do Sul, até entrar no Uruguai. Em seguida vem Argentina, até o extremo sul, em Ushuaia, o “fim do mundo”. Subimos pelo Chile  e exploramos América Latina (Bolívia, Peru, Equador, Colômbia).

Na Colômbia, embarcamos para Panamá e fazemos toda a América Central (Panamá, Nicaraguá, Costa Rica, Honduras, Guatemala, Belize), e entramos no México, de onde seguimos para Estados Unidos, Canadá e Alasca. Do Alasca descemos para Miami, onde o “Carona” será transportado de navio até a Holanda.

O que pesou para a escolha de um país em detrimento de outro foi, primeiramente, as necessidades. Alguns países são imprescindíveis cruzar. Impossível chegar nos Estados Unidos sem cruzar o México, por exemplo. Em seguida, claro, as nossas afinidades.  

Essa é a primeira parte da viagem e deve durar um ano e três meses. O planejamento até agora se limita a essa etapa. A segunda compreenderá Europa e África, enquanto na terceira e última rodaremos a Ásia e Oceania. As fases 2 e 3 da viagem vamos pensar com calma, mas não achamos necessário definir com tanta antecedência.

E é essa viagem de volta ao mundo que você vai acompanhar no blog. Sigam nossos posts!

- - - -

Se você curtiu esse texto, ficaria extremamente feliz se pudesse dar um nele aí embaixo ou compartilhar com seus amigos!

COMENTÁRIOS:

Alexandre Montenegro

Alexandre Montenegro comentou 9 meses atrás

Ola estou tb nessa de fazer uma viagem de volta ao mundo mas em vez de descer do alaska pra Miami vou passar pra a Russia de Barco e de la seguir viagem, por terra ou pelo trem transiberiano Moscou e depois pra a Europa finalizando em Lisboa. Irei ao Marrocos tb e o resto não tem condições devido a guerra e esse problema dos refugiados da Siria. Asia e Africa vão ficar para a proxima. forte abraço e boa sorte.


Fique por dentro das novidades e melhores dicas:




Instagram


Viajantes também leram:

SUA VIAGEM COMEÇA AQUI

Dubbi é um novo espaço para pessoas incríveis que amam viajar possam interagir, se ajudar e compartilhar suas histórias e dicas de viagem.

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.