Ro  Ludwig

 Arte Música e Cultura, Aventura, Gastronomia, Hospedagens, Viagens Rápidas, Passagens e C. aéreas, Mochilã   América, Europa, Ásia, África, Oceania

Qual é a sua melhor história de viagem?

sabe o termo "história de pescador" :) Em viagens passamos por muitos fatos que poderiam ser mentira, mas acontecerem de verdade. Conte sua melhor historia!

Meu perfil de viagem: Aventureiro, Mochileiro

Responda a dúvida de Ro

Escreva a sua resposta...
RESPONDER

4 Respostas

Ordenado por:
SILVIA  ANDRADE

MELHOR RESPOSTA

SILVIA  ANDRADE RIO DE JANEIRO

respondeu 7 meses atrás

Uma vez fiquei náufraga...

Isso mesmo, foi numa ilha deserta em Angra dos Reis onde eu e meu marido (na época ainda namorado) e mais alguns amigos tínhamos ido para um churrasco. Fomos até lá numa pequena lancha com capacidade de 6 pessoas e foi preciso fazer 2 viagens para levar todos. Para retornar, a mesma manobra teria que ser feita. Lá pelo meio da tarde, cansados de comer beber e mergulhar, resolvemos ir embora. Um grupo embarcou e ficamos aguardando a segunda viagem. Entardeceu e escureceu e nada da lancha voltar para nos pegar.

Passaram as horas e alguns foram se desesperando (especialmente um amigo cuja esposa havia ido na primeira leva) e ele andava pela areia gritando “socorro” para as lanchas que passavam voando (só lancha grande e veloz e quem conhece sabe o barulho do motor). A gente ria dele e de nervoso, como passar a noite ao relento só de biquíni e canga? O cansaço foi batendo e como não havia nada para fazer, eu e o namorado acabamos cavando na areia buraco e nos cobrimos com a canga.

Já estávamos dormindo um sono gostoso quando lá pelas 23:00 h. chegou o nosso “salvamento”. Um veleiro que foi recrutado na marina. O capitão, um alemão de 2 metros e cara de poucos amigos (ele foi acordado para o “resgate”), nos trouxe, são e salvos de volta para casa e só aí soubemos que a lanchinha tinha quebrado e eles mesmos tinham ficado algum tempo aguardando resgate.

Até hoje eu ainda acho que podíamos passar a noite toda ali. Afinal, era verão e a gente era jovem.

Aqui uma foto da "nossa ilha deserta" - Cataguases, Angra dos Reis, RJ

SILVIA  ANDRADE adicionou foto de América,Europa,Ásia,África,Oceania Foto 1

 

Patricia Kameda

Patricia Kameda São José dos Campos

respondeu 7 meses atrás

São tantas histórias. 

A maioria envolve uma queda.

No meu primeiro dia em Brighton- Inglaterra quis andar em um onibus de dois andares. Entrei no ônibus, subi as escadas e fiquei toda feliz. Quando estava aproximando do ponto que eu ia descer, bem no momento que estou descendo as escadas, o motorista me freia, e eu caí de cara no chão, na frente de todos passageiros. Rs

Quando eu estava em Lisboa, eu tinha que pegar o comboio (trem) para Porto, mas estava chovendo muito no dia e me atrasei, cheguei na estação bem em cima da hora, aí fui entrar correndo no comboio, aí não vi o degrau direito, e fui de cara no chão. Rs

Em Salt Lake City quis fazer snowboarding, mas com essas "habilidades" que eu tenho, durante a preparação eu torci meu pé e fiquei de "molho", e para piorar tive uma hipotermia.

Rsrs

Ed On The Road

Ed On The Road São Sebastião-SP

respondeu 7 meses atrás

Ro, tudo bem?

Olha, concordo com a Iandra, as histórias acontecem todas as horas, mas também acho que algumas marcam eternamente.

Uma experiência que nunca esquecerei, foi numa viagem à Áustria , que tive a oportunidade de ir a uma cavalgada no meio de uma floresta... detalhe, era dezembro e o inverno estava bem rigoroso, aproximadamente -15cº. A nevasca que começou assim que montamos nos cavalos veio acompanhada de um vento muito forte e mesmo assim me senti no paraíso. hahahaha

Foi delicioso!!!

Lugares mencionados
  1. Áustria , AT
Iandra Mikaelly

Iandra Mikaelly Feira de Santana

respondeu 7 meses atrás

Minhas histórias mais loucas acontecem sempre e em todo lugar, porque minha vida nunca foi normal mesmo. Mas quando faço uma viagem a Natal , o que ocorre todo verão, mesmo que não aconteça algo tão impressionante, sinto coisas especiais. Tudo bem, não é nenhum destino internacional nem o mais luxuoso, mas são viagens muito especial pra mim. Na primeira viagem, descobri coisas novas sobre o Brasil e sobre mim mesma, descobri que alguns medos que eu tinha quando era criança desapareceram de verdade. Na minha última viagem, passei Natal e Ano Novo, minha primeira virada de ano na praia, inclusive. Minha virada 2014-2015 num povoado da Bahia começou  com comida e uma apresentação musical que fiz e terminou comigo arrebentando as costas, além de ter trancado o carro com a chave dentro, coisa de gente desligada. De qualquer forma, acabou sendo boa. Mas essa virada 2015-2016 em Natal foi totalmente outra vibe... começou com tudo de bom e terminou com tudo de bom. O mar e eu naquela nossa intensa relação de amor,sabe? A coisa mais linda do mundo, o céu todo estrelado,gente diferente, conhecendo gente nova... e no outro dia as ondas me desejando feliz ano novo! Essa viagem durou quase um mês e a cada dia eu via que o mar e todo o resto da natureza possuem propriedades curativas pra mim, capazes de acabar com todo o mal do mundo. E todo dia tinha uma novidade e uma historinha pra contar, sempre acontecia alguma coisa! Foi lá que aprendi a fazer tanta coisa relacionada ao mar,foi onde eu perdi minha aula de surf porque tinha ido a uma festa na casa do professor e ele ficou bêbado e no outro dia acordou 12 horas depois da nossa hora combinada de aula, na maior ressaca, daí a gente esqueceu um pouco o surf (mas ainda n desisti de surfar). Foi lá que eu encontrei do nada a notícia de que no mesmo dia teria um show de uma banda que ouço desde criança e aproveitei minha sorte de conseguir um ingresso e dancei muito, e quem diria que lá, e do nada mesmo eu conseguiria ir a meu primeiro show dessa banda em anos!Foi lá que eu tive uma paixão de verão nada correspondida, mas muito engraçada e me fez rir de mim mesma depois de tudo, e foi lá que reafirmei minha tese de que não há outro lugar em que eu queira estar que não seja o mundo inteiro. Um belo dia minha amiga olhou pro céu e disse que queria um ''boy'', daí no mesmo segundo um cara chegou e se apresentou pra mim, tirei onda por dias disso. Outro dia, fugi da galera em Genipabu pra cantar e fazer amizade com hippies e foi uma experiência muito legal, porque conheci mais sobre a ideologia deles, mesmo já sabendo qual era. Outra vez, eu passei a noite no fundo do poço e escrevi um dos meus textos depressivos em meio a lágrimas e no outro dia, ao tomar banho de mar, me senti tão leve, como se ele tivesse arrancado de mim o maior peso que eu já levei na vida. O céu e o mar são muito especiais pra mim, parece algo cliché de se falar, mas eles realmente possuem o maior significado na minha vida, e parece magia. Eu não consigo enjoar disso mesmo repetindo todo verão... até agora, nada fora do comum...todo mundo aqui deve ter histórias fantásticas, até eu tenho histórias loucas de verdade e difíceis e acreditar,em outros lugares, mas decidi deixar essas minhas idas a Natal aqui porque aquele lugar tem um valor sentimental pra mim muito forte e me ajudou a me descobrir como pessoa e como viajante também, mesmo sempre tendo amado viajar...

Lugares mencionados
  1. Natal , RN BR

Responda a dúvida de Ro

Escreva a sua resposta...
RESPONDER

Fique por dentro das novidades e melhores dicas:




Instagram


Perguntas que os viajantes também leram...

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.