Saiba como visitar, sem sustos, a Chapada dos Veadeiros


 Alto Paraíso de Goiás    2192 visualizações

Porto Seguro  adicionou foto de Alto Paraíso de Goiás Foto 1

Centenas de nascentes, cursos d´água, cachoeiras, cânions, minas de cristal, piscinas naturais e paredões rochosos em meio ao Cerrado. Assim é o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, criado em 1961, pelo ex-presidente Juscelino Kubitschek. A partir dos anos 1990, o turismo se consolidou na região, o que fez o local se tornar hoje um dos lugares mais cobiçados do Brasil por turistas nacionais e estrangeiros.

O nome, Veadeiros, tem origem no alto número de veados que costumavam ser vistos na época em que os colonizadores chegaram à região, ainda no século 18. São três os lugares que recebem mais visitantes: Cavalcante, Alto Paraíso de Goiás e seu distrito São Jorge.

Confira abaixo dicas para visitar a Chapada sem sustos.

Quando visitar

A melhor época é entre abril e setembro, quando as chuvas dão uma trégua e, dificilmente, algum passeio será interrompido por ordem de São Pedro.

O que conhecer

Como acontece também na Chapada Diamantina e na Chapada dos Guimarães, é impossível conhecer todo o complexo natural em poucos dias. A dica é eleger passeios imperdíveis e deixar para conhecer tudo o que não foi possível em uma próxima visita.

Na hora de se locomover, o carro não chega a ser um artigo imprescindível, mas facilita o deslocamento. A opção mais fácil para alugar um automóvel é o aeroporto de Brasília.

 Porto Seguro  adicionou foto de Alto Paraíso de Goiás Foto 2

Já para quem escolher a caminhada, o ideal é se hospedar na vila de São Jorge (leia mais abaixo), por ser o lugar mais perto da entrada do parque, a apenas 15 minutos a pé. Ao turista sem automóvel, cabe outro conselho: fique atento com os preços cobrados por agências e guias. Desconfie de valores exorbitantes e verifique se a agência de turismo é legalizada e cadastrada no Ministério do Turismo.

Para ter uma ideia, a viajante Mari Souza, de São Paulo, fez a maioria dos passeios desembolsando em torno de R$ 100 por dia.

Alto Paraíso de Goiás

É a cidade mais estruturada da Chapada dos Veadeiros, com aproximadamente 3.500 leitos, entre hotéis, hostels e pousadas. Bares e restaurantes para aproveitar a noite também não faltam. O misticismo predomina no lugar, que está na mesma latitude que Machu Picchu.

No total, são 120 cachoeiras catalogadas, dos mais variados tamanhos, profundidades e colorações de água. Algumas só são acessíveis com guias, mas em boa parte delas chega-se facilmente de carro. Paga-se, em média, R$ 10 para entrar em cada uma.

Algumas das mais famosas são: Almécegas I, Almécegas II, Água Fria, Abismo, Cristais e Segredo, além de a Catarata dos Couros.

 Porto Seguro  adicionou foto de Alto Paraíso de Goiás Foto 3

São Jorge

São Jorge é um distrito de Alto Paraíso de Goiás, a cerca de 30 km de distância. Seu povoamento começou na década de 1950, com a chegada de garimpeiros interessados nos cristais de quartzo que a região possuía.

Com um modo de vida mais alternativo, se comparada às cidades e vilas vizinhas, São Jorge possui campings disponíveis a partir de R$ 40 a diária, por pessoa. O lugar é pequeno, sem tantas atrações noturnas, mas ainda assim o bar Lua de São Jorge tem a pizzaria mais procurada da região, enquanto o carro-chefe do café Santo Cerrado é o risoto de pequi (tradicional fruto do cerrado, de gosto meio amargo).

O Vale da Lua é tido como uma das preciosidades da Chapada dos Veadeiros. É uma formação rochosa, em várias tonalidades de cinza, nas pedras do rio São Miguel --de água completamente transparente. Essa mistura faz com que o lugar lembre o solo lunar, daí o nome. A entrada fica no km 29 da rodovia estadual GO-239.

 Porto Seguro  adicionou foto de Alto Paraíso de Goiás Foto 4

Pouco depois, no km 40, é a vez do viajante venerar a natureza. É ali que se encontra o Mirante de São Jorge, também conhecido como Areião, para onde turistas se dirigem no final da tarde para o tradicional pôr-do-sol.

Cavalcante

Uma das melhores áreas para acampar na Chapada é o Camping Santa Bárbara, a 25 km de Cavalcante. Ele está localizado dentro do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga, região que abrigou um dos quilombos mais importantes de Goiás. A cozinha é comunitária, os banheiros têm chuveiros com água quente e há espaço para fogueira na parte externa.

Próximo ao camping estão algumas das mais belas cachoeiras da Chapada, como a Capivara (1,7 km), a Candarú (4 km) e, principalmente, a cachoeira Santa Bárbara (6,5 km), de uma tonalidade de azul de impressionar mesmo “especialistas” em quedas d´água.

Para chegar até ela, é preciso passar por dentro da comunidade Engenho II e pagar uma taxa de cerca de R$ 10 por pessoa. A trilha não é difícil, mas é feita em campo aberto, sob o sol quente do Cerrado. Portanto, bonés e protetor solar são itens indispensáveis.

Vírus da zika

Segundo o Ministério do Turismo, todos os viajantes podem viajar pelo Brasil, apesar da epidemia de zika que atinge o país --exceção feita a grávidas e mulheres que planejam engravidar no curto prazo, por causa da suspeita da relação entre a zika e os casos de microcefalia.

No caso específico da Chapada, o site oficial de Alto Paraíso de Goiás alerta que o combate ao mosquito Aedes aegypti está sendo feito na cidade. Mas, é prudente não se separar do repelente.

- - - -

Se você curtiu esse texto, ficaria extremamente feliz se pudesse dar um nele aí embaixo ou compartilhar com seus amigos!

COMENTÁRIOS:


Fique por dentro das novidades e melhores dicas:




Instagram


Viajantes também leram:

SUA VIAGEM COMEÇA AQUI

Dubbi é um novo espaço para pessoas incríveis que amam viajar possam interagir, se ajudar e compartilhar suas histórias e dicas de viagem.

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.