Depois que eu larguei tudo... Como a Nova Zelândia roubou meu coração?


 Nova Zelândia  

Jornalista Itinerante - Thaís Sabino adicionou foto de Nova Zelândia Foto 1Estava revendo meus últimos posts aqui para o Dubbi e percebi que contei um pouco sobre mim, como decidi largar "tudo" para passar um ano na Nova Zelândia, as barreiras, o planejamento, que dei algumas dicas de turismo por lá, mas que esqueci de falar de algo muito importante, de um sentimento que a Nova Zelândia me trouxe muito além de toda a beleza estonteante e cenários paradisíacos: valores da vida.

Sim, é claro que eu já possuía alguns antes de embarcar para a "terra encantada". Mas passado esse ano vivendo entre neozelandeses, maoris e kiwis, sou uma pessoa diferente, ganhei novas prioridade e sonhos, além de ângulos para avaliar o mundo. A Nova Zelândia tem esse poder de te fazer lembrar que o importante mesmo é o que você é, como você age e pensa. De te fazer desapegar do supérfluo, de te fazer parar pra ouvir e realmente enxergar - e não apenas olhar - o que está ao redor.

A Nova Zelândia não te julga, não te discrimina, não olha a etiqueta das suas roupas ou se os seus sapatos estão combinando com a bolsa. A Nova Zelândia não te seleciona com base no recheio da sua carteira, não perde tempo falando mal das pessoas, não te assusta, não te ameaça. Se tem uma coisa que a Nova Zelândia te oferece é a liberdade, de ser quem você quer ser, de rasgar contratos de padrões e usar o bom senso para criar suas próprias regras.

Jornalista Itinerante - Thaís Sabino adicionou foto de Nova Zelândia Foto 2Não posso dizer que todo neozelandes vive e pensa assim, mas posso, sim, afirmar que me senti livre, aceita, bem recebida e em paz nos mais de 300 dias que passei lá. A energia da Nova Zelândia tem um poder incrível de abrir a mente, acalmar o coração e dar vida. Eu deixei de "sobreviver" nesse um ano, passei a dar mais valor aos momentos do que às coisas, comecei a preferir experiências às conquistas. Parei de adiar meus sonhos pelos motivos errados e me tornei uma pessoa mais intensa, que vê e sente cada pequeno detalhe do dia.

Viajar é, sim, uma alegria passageira, mas as experiências vividas podem causar mudanças, pequenas ou grandes, em vários aspectos da vida. O novo sempre tem algo para contar que você ainda não sabe, seja em viagens ou qualquer tipo de desafio ao qual a pessoa se submeta. E é esse o estilo de vida que quero para mim, que não me traga fortunas em contas bancárias ou mansões, mas bens tão - ou mais - valiosos que eu possa carregar comigo não importa para onde eu for.  

Eu voltei a São Paulo após mais de um ano e quatro meses fora, fiquei três meses, e hoje estou descobrindo desafios, conhecendo novas culturas e exercitando minhas percepções no interior da Austrália.

Se você quiser mais informações sobre a Nova Zelândia e acompanhar minha trajetória pela Austrália, convido a dar um pulo no meu blog: www.jornalistaitinerante.com

- - - -

Se você curtiu esse texto, ficaria extremamente feliz se pudesse dar um nele aí embaixo ou compartilhar com seus amigos!

COMENTÁRIOS:


Fique por dentro das novidades e melhores dicas:




Instagram


SUA VIAGEM COMEÇA AQUI

Dubbi é um novo espaço para pessoas incríveis que amam viajar possam interagir, se ajudar e compartilhar suas histórias e dicas de viagem.

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.