4 dias em Curitiba - Minha primeira viagem sozinha


 Curitiba, Morretes, Antonina, Paraná    1454 visualizações

  Fiz minha primeira viagem sozinha ano passado. Estava numa nova fase da minha vida e decidi que uma viagem sozinha seria um ótimo desafio, uma novidade, um teste de “se vira”. A oportunidade surgiu quando a Tam fez uma promo de passagens para vários destinos do Brasil. Pesuisando na internet listas do tipo” Melhores lugares para ir sozinha”, encontrei Curitiba em quase todas e então me decidi por ela. Já era um desejo antigo conhecer essa cidade tão famosa por sua arquitetura, parques, transporte público eficiente e sustentabilidade. Passagens compradas, comecei a montar roteiro e pesquisar hostels, já que iria sozinha, era a melhor opção. Foram 4 dias em abril, aproveitando o feriado de São Jorge aqui no RJ. Escolhi o Expresso Curitiba Hostel, por sua localização e pelas camas tipo cápsula, que dão uma maior privacidade. Já havia ficado em um hostel com configuração parecida em SP e curti muito. Como meu voo chegaria 23:30h, fechei o traslado com o hostel, apesar de terem me garantido que era tranquilo chegar de ônibus naquele horário. Mas sozinha numa cidade estranha eu não queria arriscar. Logo de primeira passei meu primeiro perrengue/susto. Meu voo chegou meia hora adiantado, entrei em contato com o hostel para avisar, qual não foi minha surpresa quando fui informada que não havia ninguém pra me buscar e que eles nem estavam sabendo. Entrei em pânico! E eu ainda havia confirmado via e-mail, no mesmo dia, se estava tudo certo com o transporte. Umas 3 ligações depois, o rapaz resolveu o problema e em menos de meia hora estava a caminho do hostel. O susto não foi nada demais, mas para quem estava sozinha pela primeira vez e numa cidade desconhecida é assustador.

 1º dia – Fui encontrar a Tati, uma moça que conheci no grupo Viagem para mulheres no Face. Ela ficou de me passar umas dicas sobre a cidade. Nos encontramos pra almoçar próximo ao local de trabalho dela, que era próximo ao MON (Museu Oscar Niemeyer) e ao Bosque do Papa, me passou várias dicas.  O MON é lindo! Fiquei apenas na área externa, mas pra mim foi suficiente. Depois fui até o Bosque do Papa, que também é maravilhoso, nem parece que estamos no meio da cidade, com a densidade de verde que compõe o parque. Dentro do parque encontram-se algumas casa típicas polonesas, construídas com troncos de pinheiro. De lá voltei para o centro e caminhei um pouco pela parte histórica do centro. Na verdade estava à procura de uma loja para comprar um cartão SD para a câmera, pois havia esquecido o meu em casa. Passei pela rua XV de novembro, rua 24 horas, Paço da Liberdade e alguns outros prédios históricos. Peguei um ônibus para o Shopping Estação, que a Tati havia me indicado. O Shopping funciona em anexo ao prédio do Museu Ferroviário, que conta a história da antiga estação de Curitiba. Aproveitei e matei a saudade do hambúrguer do Madero, um restaurante maravilhoso que havia conhecido no ano anterior em viagem a Foz do Iguaçu.

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 1

Bosque do Papa/Memorial da Imigração Polonesa 

 Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 2

Museu Oscar Niemeyer

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 3

Catedral de Curitiba na Praça Tiradentes

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 4

Hambúguer com fritas do Madero

2º dia – Peguei o ônibus turístico, na praça Tiradentes, que é o ponto de partida. Peguei o das 10h. O valor do ticket é 40 reais e tem direito a 4 reembarques, dentre os 25 pontos de parada. O bom é que tem alguns pontos que ficam próximos, então dá pra visitar duas atrações de uma vez, sem precisar pegar o ônibus. Os pontos que escolhi foram: Jardim Botânico; Bosque Zaninelli/Universidade Livre do Meio Ambiente; Ópera de Arame; Parque Tanguá e Memorial Ucraniano. Da Ópera de Arame até o Parque Tanguá, fui a pé. Mas acabei pagando mais um ticktet, pois resolvi descer no Memorial Ucraniano. Como ficou meio tarde, o Parque Barigui, que eu queria muito ter conhecido, ficou de fora. Finalizei o tour na praça Tiradentes mesmo e de lá voltei a pé pro hostel.

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 5

Jardim Botânico de Curitiba

 Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 6

Ópera de Arame

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 7

Parque Tanguá

3° dia – Fiz o passeio de trem pela serra do mar, para Morretes e Antonina. Fechei com a Serra Verde Express. Me pegaram no hostel bem cedo, era um sábado. Recomendo a empresa. Durante a viagem de trem, um guia vai contando histórias e curiosidades não só do passeio como da região como um todo. É bem legal e interessante, além das belas paisagens do trajeto. Eles dão um lanchinho e a bordo tem café e água. O tour é bilíngue. Chegando em Morretes, uma van nos levou diretamente a Antonina, onde paramos para almoçar o barreado, prato típico da região. O almoço também está incluso no pacote. Depois do almoço temos um tempo livre pra conhecer a cidade, que não é muito grande, mas é um charme. Depois retornamos a Morretes, onde acontece uma feirinha artesanal em sua rua principal. Também é uma cidade pequena e charmosa. A volta é feita de van pela estrada da Graciosa. Cheguei ao hostel por volta das 18h.

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 8

Trem pela Serra do Mar

 Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 9

Antonina

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 10

Morretes

4° dia – Último dia, reservei para ir na famosa feirinha de domingo, a Feira do Largo da Ordem, no centro. Artesanato, gastronomia, música, artes e antiguidades, de tudo um pouco. A Tati, a moça que conheci no grupo de viagens, me guiou em um passeio por áreas mais desconhecidas da cidade. Passamos por uma mesquita, já no final da rua da feirinha; fomos até o bairro Batel, onde tem o famoso Castelo do Batel, que é lindo; Praça do Japão; shopping Batel e finalizamos com almoço no Shopping Curitiba, onde foi reaproveitada a fachada de um antigo quartel do exército. Voltei pro hostel, peguei minhas coisas e fui pro aeroporto de ônibus. Não tem segredo, super tranquilo e te deixa dentro do aeroporto mesmo.

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 11

Feirinha do Largo da Ordem

 Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 12

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas

Juh Oliveira adicionou foto de Curitiba,Morretes,Antonina,Paraná Foto 13

Largo da Ordem

Essa foi a minha primeira aventura, gostei muito, aproveitei bastante e fiz os passeios que queria no meu tempo. Recomendo Curitiba para primeira viagem solo, pela facilidade de locomoção em transporte público e me senti bem segura andando sozinha durante o dia. Peguei táxi umas duas vezes apenas. Não sai à noite, pois fiquei com medo de andar sozinha por lá, mas pelo fiquei sabendo que no centro, próximo onde ocorre a feirinha de domingo, tem uns barzinhos bem legais.

- - - -

Se você curtiu esse texto, ficaria extremamente feliz se pudesse dar um nele aí embaixo ou compartilhar com seus amigos!

COMENTÁRIOS:


Fique por dentro das novidades e melhores dicas:




Instagram


Viajantes também leram:

SUA VIAGEM COMEÇA AQUI

Dubbi é um novo espaço para pessoas incríveis que amam viajar possam interagir, se ajudar e compartilhar suas histórias e dicas de viagem.

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.